Descobrindo Charlotte Mason
Descobrindo Charlotte Mason
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

O prefácio mais incrível que já li.

O prefácio mais incrível que já li.
Emanuelly Medeiros
jun. 26 - 4 min de leitura
010

O prefácio do livro "Educação no Lar" de Charlotte Mason é mesmo um banquete. Desenvolve todas as ideias do livro de forma a nos deixar com muito apetite para ler mais! E nos dá uma boa ideia de toda maravilha que nos espera.

"As crianças já nascem pessoas". Parece óbvio, mas se refletirmos nessa frase, é algo muito impactante. Elas não "evoluem" para se tornarem adultos ou pessoas. Elas "já" nascem pessoas e, na verdade, são melhores que nós, adultos. Pois Cristo falou que, se alguém pretende entrar no Reino dos Céus, tem que se tornar como criança. Elas são melhores que nós em muitas coisas, são puras, criativas, imaginativas, sinceras e aprendem muito rápido qualquer coisa. Esse princípio foi o que mais me impactou, porque temos a tendência de achar que somos melhores que as crianças, detentores da sabedoria, ou que temos muito a oferecer, quando, na realidade, temos muito a aprender com elas.

Mas as crianças não nascem boas ou más, mas com possibilidades para o bem e para o mal. Então, cabe a nós, os pais, orientá-las para o bem, já que ,teoricamente, já dominamos o Caminho da Vontade. Porque a criança pequena tem uma vontade fraca, ou seja, ainda não consegue distinguir entre o "eu quero" e o "eu decido". Daí precisamos mostrar-lhes o Caminho certo a seguir, as virtudes a serem alcançadas, o Caminho do bem. 

Para nos ajudar neste caminho, Deus nos dá autoridade como pais e é dever da criança obedecer. Assim podemos treinar as crianças em bons hábitos, guiando-as para o bem que há nelas e, consequentemente, evitando que os maus hábitos se formem. E nisso precisamos ser intencionais, porque os maus hábitos formam -se sozinhos. 

Os bons hábitos são muito importantes, tanto na vida adulta, como na infância, mas principalmente nesta última, porque, ao se tornarem automáticos, evitam que a criança precise decidir, algo que ainda é muito difícil e desgastante para ela.

Estes hábitos, junto com a Atmosfera do Ambiente e as Ideias Vivas formam um trio que são verdadeiras ferramentas para a educação. 

A Atmosfera do Ambiente diz respeito tanto ao ambiente físico no qual a criança está inserida, que não deve ser reduzido a um espaço infantilizado, mas também às pessoas e aos relacionamentos. E as Ideias Vivas são encontradas na própria natureza, na música, nas artes e nos livros vivos.

Algo que achei muito interessante foi a questão da Narração. A sua importância, não como medidor do conhecimento, mas como uma ferramenta para a própria aprendizagem. As crianças desde muito pequenas apresentam esse dom de narrar e, quando vão ficando maiorzinhas, devemos estimulá-las a narrar aquilo que ouvem ou lêem. 

Por fim, devemos nos lembrar que toda sabedoria vem do Espírito Santo. Desta forma, não devemos separar a vida intelectual da vida espiritual da criança e podemos contar com Ele para nos capacitar como mães e pais, guiando nossos filhos no caminho para sua educação. Nunca esquecendo que o principal fim da educação é o conhecimento de Deus ❤ 

Estou muito feliz em participar do Clube de Leitura "Um amor Pensante" e aprender com vocês e com Charlotte Mason coisas que nunca tinha parado pra pensar! São ideias que pretendo aplicar para minha própria existência, pois preciso muito. E que bom que minha filhinha, ainda pequenininha, poderá crescer debaixo desses princípios. 


Denunciar publicação
    010

    Indicados para você